"Reconhecer a capacidade viva em nós que se faz no brincar de criar, recriar e co-criar a todo instante, eu natureza e natureza em mim".

Alecrim - Sessão I-12 (Custom).jpg
Crianças meditando

Um dos principais objetivos deste trabalho é apresentar ferramentas dignas para qualquer ser humano apreciar: a arte da Presença, através de práticas de auto-observação, cultura de paz e meditação.

No desenvolvimento desse projeto, um dos focos é desmistificar os exageros sobrepostos à essas práticas, apresentando uma abordagem humanizada e holística sem perder a cara de “vida de todo dia”, evidenciando a relação que se faz estreita entre o indivíduo, sua totalidade e o meio.

 

Práticas de autoconhecimento com temas e abordagens relevantes aos aspectos psicofisiológico e neurofisiológico, de forma direta e indireta, mas sempre apontando para um lugar comum a todo ser vivente.

 

O desenvolvimento desse projeto segue uma direção livre da necessidade de crenças, buscando acolher e contemplar o indivíduo e suas estações, legitimando cada experiência e suas singularidades, sustentando um caminho de transformação sem a necessidade da competitividade.

 

As práticas de cultura de paz foram inspiradas nos sistemas, conceitos e culturas de povos antigos, como a Tradição Védica, assim como dos povos indígenas e daqueles que dedicaram suas vidas ao bem viver na Natureza e todas as espécies viventes.

Atualmente, muitas pesquisas aceitas pela comunidade científica, confirmam a linha clara de conceitos antigos, mas hoje, apresentados numa roupagem talvez mais acessíveis através de conteúdos que apontam para uma regeneração global desde dentro e a integração em vida.

 

Me apoio à luz da Tradição Védica e olhares como a Permacultura na vida, a Eco psicologia, a Visão Sistêmica, conceitos ecológicos inteligentes e humanitárias, a Comunicação Não Violenta, a Atenção plena “Mindfunss”, as Artes terapias, e muitas outras vestimentas que envolvem diferentes tipos de olhares complementares e abrem portas para passos na direção do:

 

“Dar-se conta” do pertencimento à Natureza, desconstruindo os olhares limitantes, extrativistas e exclusivistas, para um olhar inclusivo, consciente e inteiro.

 

A meditação é muito mais do que uma ferramenta prática a ser feita, mas o próprio estado de consciência plena a ser lembrado, a tal da Presença que de fato é integralmente disponível para que todos, independentemente de quais sejam nossas escolhas.

Pela mecanicidade do cotidiano, a Presença pode passar desapercebida.

 

Meditar engloba um conjunto de técnicas, que apresenta possibilidades de treinar a mente à atenção plena.

 

Pensar num projeto de Meditação no sistema de Educação e Saúde para todas as pessoas envolvidas, além de válido é extremamente necessário, criando um eco que repercute na vida individual e coletiva, ecoando do corpo docente aos alunos e pacientes e consequentemente seus familiares e todo entorno.

 

“Educar é uma missão que começa por dentro. E o que temos dentro transforma.”

Elisama Santos

Convido você e seu coletivo à abrir um espaço na sua rotina para que cada um, diante de sua experiência direta poder atravessar suas pontes internas e reconhecer seu potencial latente e vivo que já existe.

 

“Ao longo de nossa vida temos pontes a atravessar, mudanças a fazer, aprendizados a concluir... As pontes a serem atravessadas são aquelas que nos cegam e aprisionam à personalidade, ao ego. Ao atravessá-las, podemos ser como somos, com expressões diferentes, mas sempre plenos, satisfeitos pelo completo e eterno que somos. ”

Glória Arieira

Classe meditação

A minha experiência direta como educador entre adultos e crianças e no convívio nas iniciativas e projetos educacionais, reconheci uma sede imensa, abrindo os meus olhos e me impulsiona na direção de um SiM para vida.

De um olhar humanizado sobre as nossas relações, surge o Projeto Simplesfica consigo, (Simplifica).

 

A ideia mobilizadora é:

 

Tudo começa num #SiM para ti mesmo enquanto Presença!

 

Direcionar o olhar para você, pode ser o que faltava para abrir a porta da liberdade.

Desse olhar, nasce um diálogo sincero por dentro e com o seu entorno.

Você sincero contigo é você sincero no mundo.

 

SiM para o abrir-se ao Sagrado, por muitas vezes esquecido do corriqueiro.

 

SiM ao chão do suporte de todos nós, às relações básicas que nos afetam diariamente.

 

SiM ao verdadeiramente desejado não falado diretamente, a comunhão entre os seres, antes dos rótulos, antes mesmo da cor e do gênero.

 

SiM ao básico entre nós, viver a natureza fundamental em si.

 

SiM à liberdade de expressão;

 

SiM às escolhas de forma inteligente.

 

SiM a paternidade e maternidade humana, autêntica e consciente.

 

SiM a nossa capacidade para descomplicar nossos caminhos.

  

SiM para o despir-se do que passou.

 

SiM ao soltar o desnecessário.

 

SiM aí novo agora.

 

SiM ao grande sol que brilha para todos, livre dos pré-conceitos e dos achismos.

 

SIM ao encontro confortável consigo mesmo.

 

SIM ao aprender extrair conhecimento diante dos descompassos.

 

SIM às forças e elementos que regem a natureza.

 

SIM à potência viva em nós.

 

SIM ao Ser UM com o Universo inteiro a todo momento.

Quando nos despirmos dos véus que encobrem nosso olhar, que possamos ter compaixão com os que escolhem se manter "vestidos" optando por se envolver e se perder nos papéis, muitas vezes, negligenciando a sua natureza.

Que as portas se abram e possam haver para todos, oportunidade desse encontro acontecer, cada qual no seu momento, e juntos somando na direção de restaurar, regenerar e renascer em si.

 

Por um encontro entre nosso sagrado e nosso mundano pulsante em harmonia.

Por uma regeneração por inteiro entre nós, a Terra e o Céu. Que se faça de uma boa maneira, amável e brincante.

Floresta