Além da dança do dia e da noite, as mudanças de estações do ano é um dos ciclos que mais influenciam a natureza e os nossos movimentos.

Essa dança exerce alterações nos nossos humores (doshas) e o estado de saúde mutável consequentemente, no corpo.

O Ayurveda revela a importância de afinarmos pequenas, mas gentis mudanças que se alinham aos ciclos que vivemos.

Nossos corpos e mentes se alteram junto as mutações vinculadas à: temperatura, umidade e pressão atmosférica.

 

Num passado não distante, livre das influências tecnológicas, muitos de nós e nossas comunidades percebiam clima de maneiras mais inteiras. Hoje, conforme nossa dependência entre os estímulos, vivemos mais ou menos conectados a si e ao entorno.

 

Quanto mais distante do meio espontâneo, menos percebemos quando o tempo muda. Com os ares “fechados” condicionamos nossa sensibilidade para uma leitura de clima ideal, circulando entre ambientes que podem se manter na mesma temperatura patrocinando estados engessados que dependem de uma farmacologia que nos faz “acostumamos” com as respostas repetitivas do corpo manifestada através de uma rinite, secura de pele, falta de resistência ao frio e calor, dependência de temperatura, entre outros sintomas.

As estações do ano

De acordo com o Ayurveda, além de considerarmos as 4 estações conhecidas, que não acontecem de forma marcada em todo lugar, considera-se as monções (estações de chuvas, como uma “estação” particular que temos em muitos lugares na India e em muitos outros lugares no Brasil, no mundo, alguns no verão ou períodos de calor e umidade, considerado como “o inverno” de lugares secos e tropicais).

No geral, diante das estações, vivemos um período com um grupo de informações em forma de alimentos, vivências e temperaturas, as quais conforme administramos, podemos gerar toxinas no corpo e na mente.

Vasanta

Grishma

verão

Sharad

outono

Shishira

inverno

Saúde nas estações

A saúde está relacionada em vivenciarmos os cenários que a natureza apresenta, atentos aos convites e as propostas, o diálogo pode ser fino e dançante.

Com a industrialização, a mecanicidade, a informática e a produção em alta escala, nos afastamos desta inteligência orgânica e fluídica, isso implica em falhas na sensibilidade da leitura e diálogo do ser humano e o meio, podemos ainda perceber com o povo que vive no campo ou ainda aos nativos que vivem nas florestas.

Assim como a Lua influencia as marés, os ciclos de translação e rotação da Terra, existe essa influência constante no corpo e mente dos indivíduos também junto aos cinco elementos presentes no nosso corpo: água, terra, fogo, ar e éter. Em determinadas estações, no corpo, estes elementos se acumulem e outros decresçam.

 

Para o Ayurveda, a saúde permanece naqueles que seguem o regime sazonal, patrocinando boa imunidade como resultado de uma escuta atenta e generosa consigo.

Ao contrário daqueles que não o seguem, pois uma rotina e alimentação inadequada provocam o acúmulo de um ou mais dos cinco elementos, sem promover a auto pacificação. Desta forma, a imunidade cai, produzindo um ciclo vicioso que leva aos desequilíbrios e as doenças.

 

Vivemos influência entre períodos em que o Sol se torna mais evidente e forte com ou sem ventos poderosos, tornando o quente, seco entre outras temporadas com características opostas de resfriamento e umidade.

Períodos de céu claro e outros com danças de nuvens, chuvas, raios, mas também arco-íris.

Transição entre as estações

Rutusandhi é um conceito bonito no Ayurveda que significa junção sazonal.

São os últimos sete dias da temporada anterior, somados os primeiros sete dias da próxima temporada.

Justo são nesses períodos que mobilizamos os retiros e te convidamos a adentrar neste mergulho de si.

 

Durante Rtusandhi, deve-se gradualmente dispensar as práticas da temporada anterior e adaptar as práticas da temporada seguinte, a fim de entrar em sincronia com a natureza que se movimenta.

Este é o segredo da boa saúde e imunidade.

Exige atenção e presença.

 

Soltar o excesso dos sons do caos da vida moderna seja nos ambientes externos ou na mente, e abrir espaços internos para ouvir a canção que se renova de tempos em tempos, seja dos pássaros na revoada do final da tarde ou sentir os primeiros raios solares na pele, pode parecer um privilégio.

Mas é uma conquista possível.

 

A volta para casa, em si mesmo, exige consciência para ouvir o próprio corpo, senti-lo e ama-lo.

 

 Perceber que o que é normal, na maioria das vezes, não é o certo para você.

Como dizia Krishnamurti: “Não é sinal de saúde estar bem ajustado em uma sociedade profundamente doente.”

O retiro propõe:

♡  Imersões de quinta-feira a domingo;
♡  Desintoxicação dos excessos de estímulos e de outros conteúdos palpáveis e não palpáveis, do caos da vida moderna seja nos ambientes externos ou na mente;

♡   Retiros independentes, ou seja, você pode optar por participar de todos, de apenas um e/ou intercalar... enfim, cada retiro é único;
♡   Soltar uma estação e abrir-se para a estação que chega;
♡   Um convite gentil para contigo às mudanças internas;
♡   Vivenciar os cenários que as estações nos apresentam, atentos aos convites e as propostas através de um diálogo fino com o próprio corpo;
♡   Mergulhar sob um olhar simplificado à luz do Ayurveda, Yoga e Vedanta, onde você não necessita de conhecimento prévio para participar. Apenas disposição.



POR QUÊ UM RETIRO A CADA MUDANÇA DE ESTAÇÃO?
♡   Porque as mudanças de estações do ano é um dos ciclos que mais influenciam a natureza e os nossos movimentos, onde os corpos e mentes se alteram junto às mutações vinculadas à: temperatura, umidade e pressão atmosférica, ou seja, essa dança exerce alterações nos nossos humores (doshas) e o estado de saúde mutável consequentemente no corpo.
Em determinadas estações os elementos presentes em nosso corpo (água, terra, fogo, ar e éter) se amplificam e outros decrescem, isso atrelado a uma alimentação inadequada provoca o acúmulo de um ou mais dos cinco elementos, dessa forma a imunidade cai, produzindo um ciclo vicioso que leva aos desequilíbrios e as doenças.

♡   Então, através de um retiro-detox regado de práticas e ritos simples iremos afinar, de forma gentil, o diálogo de nós mesmos com o meio, fortalecendo o conceito de saúde.

NOS RETIROS VOCÊ IRÁ RECONHECER:

♡   Quem de fato é por detrás dos papéis

♡   A natureza que sustenta seu dia a dia

♡   A atitude por detrás da ação

DURANTE O RETIRO NOS BENEFICIAREMOS:
♡   Práticas de Yoga
♡   Meditações
♡   Exercícios respiratórios (Pranayamas)
♡   UMA SESSÃO DE MASSAGEM SHIRO ABHYANGA
♡  Limpezas internas

♡  Práticas matinais de purificação

♡  Alimento simples e fundamental através de uma mono dieta (Detox Ayurvédico)

♡  Voto de silêncio em determinados períodos do retiro

♡  Sat Sanga

♡  Conteúdos do Ayurveda, Yoga e Vedanta para vida de todo o dia

♡  Cuidado generoso de um Terapeuta Ayurveda e professores de Yoga